LA LA LA...
Já passei por situações horríveis de gostar de alguém e não ter recíproca. Gostar demais, colocar a cabeça no travesseiro e chorar sem parar ou não conseguir fazer nada porque me lembrava da outra pessoa. Eu sou assim e não tenho vergonha de falar. Mas do mesmo jeito que eu sofri, eu sorri. Porque toda vez que o amor me dava uma porrada assim, a vida me deixava um tempo pensando em mim pra depois, com calma, colocar alguém novo no meu caminho. Mesmo que fosse só pra curar a saudade de ter alguém ou pra durar. Ou, ainda, que fosse uma paixão em combustão espontânea e sem freio nenhum. Não importa. Amor é algo que se encontra mais de uma vez na vida e eu provei disso. Verdadeiros amores, aqueles que fazem a pele arrepiar só de lembrar, até são mais raros, mas não únicos. Agora, o pior é pensar que vai cicatrizar. Pior ainda? Ficar remoendo como teria sido se tivesse dado certo. Nossa, isso é o pior. Nem toda história tem final feliz e nem toda felicidade parece ser felicidade de verdade. Há certos males que vem para o bem. Pode ser demorado, mas tudo que precisamos dar é tempo pra poeira baixar, assentar e, aí sim, deixar outra pessoa construir alguma coisa no nosso coração. Ou, até quem sabe, a mesma pessoa de antes. Tudo é momento, sintonia, vibe. Desesperar não adianta. É preciso saber viver e, principalmente, conviver com o que aparece pelo caminho - mesmo que se assemelhe a uma rua sem saída. Mentira. Tudo tem jeito. Não pra ser perfeito, mas dar as possibilidades no que precisar ser feito.
Eu me chamo Antônio.  (via divergindo-me)

(via divergindo-me)

Que a vontade de ficar seja maior que os motivos para ir.
Acrescentada.  (via lettres-a-paris)

(via lettres-a-paris)

Eu te amei muito. Nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube. Pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar. Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.
Caio Fernando de Abreu (via lettres-a-paris)

(via lettres-a-paris)

Não precisa ligar o dia todo, mas liga pelo menos uma vez e diz como você tá. Não precisa passar todas as horas me mandando uma sms, mas manda uma só dizendo apenas um “oi”. Não precisa me ver todos os dias, mas vem pelo menos um dia pra eu saber que posso sentir seu abraço. Não precisa dizer toda hora o que sente por mim, mas diz pelo menos uma vez que me quer como eu te quero. Não precisa ser perfeito, basta ser a gente. Não precisa tá grudado, basta saber que você ainda tá comigo. Não precisa ser eu e você, precisa ser “nós”.
Autor Desconhecido (via lettres-a-paris)

(via lettres-a-paris)

(via lulz-time)